Devemos amar nossos inimigos?

5
1434

Recentemente uma pessoa me disse: “O Velho Testamento manda odiar os inimigos, mas o Cristianismo nos ensina amá-los.” Qual não foi a surpresa dela quando mostrei passagens bíblicas da Bíblia Hebraica que falam sobre amar os inimigos!

Amar os inimigos é mais dos ensinamentos da Bíblia Hebraica que o Cristianismo também absorveu. Porém, quero aqui demonstrar que esse ensinamento, na realidade, surgiu na própria Bíblia Hebraica.

Antes de tudo, porém, é importante diferenciar entre dois tipos de inimigos:

O primeiro, aquele inimigo que quer tirar a sua vida ou colocar você em risco. Esse inimigo, infelizmente por muitas vezes temos que combater por uma questão de legítima defesa. Sobre esse tipo de inimigo, trataremos noutro artigo.

O segundo tipo é a pessoa que é sua rival. Ela não gosta de você e/ou você não gosta dela. Sobre esse tipo de situação, a Bíblia Hebraica nos ensina várias coisas:

1) Não devemos deixar de fazer o que é certo por inimizade: Um exemplo disso pode ser visto na passagem que a Bíblia diz que não devemos deixar um jumento num buraco por pertencer a um rival:

“Se você encontrar perdido o boi ou o jumento que pertence ao seu inimigo, leve-o de volta a ele. Se você vir o jumento de alguém que o odeia caído sob o peso de sua carga, não o abandone, procure ajudá-lo.” (Ex. 23:4-5)

2) Não devemos torcer contra nossos inimigos. A queda ou tropeço de um rival não deve ser motivo de alegria para nós, pois até nossos rivais são Filhos do Altíssimo, e por isso nossos irmãos:

“Não se alegre quando o seu inimigo cair, nem exulte o seu coração quando ele tropeçar, para que o Senhor não veja isso, e se desagrade, e desvie dele a sua ira.” (Pv. 24:17-18)

3) Não devemos buscar vingança contra nossos inimigos. Lembre-se que há uma diferença entre se defender e se vingar. O primeiro ato é permitido, o segundo não:

“Não diga: “Eu o farei pagar pelo mal que me fez!” Espere pelo Eterno, e Ele dará a vitória a você.” (Provérbios 20:22)

4) Devemos amar nossos inimigos. O amor bíblico é doação, é cuidar daquilo que o outro necessita, agir para com o outro com misericórdia. Portanto, é possível amar mesmo se não conseguimos deixar de sentir raiva da pessoa:

“Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele, e o Senhor recompensará você.” (Pv. 25:21-22)

Como podemos perceber, embora as exatas palavras sejam um pouco diferentes (e até mais explicativas), o ensinamento sobre amar os inimigos se origina na própria Bíblia Hebraica e é, portanto, um ensinamento importante para nós monoteístas.

Compartilhar
Artigo anteriorAs 3 Peneiras da Língua
Próximo artigoVocê pode ser um diabo e não saber
Sou teólogo, monoteísta e um apaixonado pelas Sagradas Escrituras há mais de trinta anos. Como psicanalista, amo desvendar os mistérios da psique humana. O amor por essas duas coisas me motiva a buscar ver na Bíblia Hebraica o caminho para a felicidade e um relacionamento com o Altíssimo.

5 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom artigo, Parabéns Felipe. Mas o que quer dizer a expressão´´amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele´´.

    • Obrigado Igor! Muita gentileza sua!
      Sobre a expressão em questão, amontoar brasas vivas sobre a cabeça significa envergonhar. Quando ficamos envergonhados, nosso rosto (mais do que o resto do corpo) fica corado, como a cor das brasas.

      Os israelitas da antiguidade tinham várias expressões idiomáticas pautadas na semelhança de aparência entre duas coisas.

  2. Muito bom mesmo! quase tudo eu já havia lido, mas não me lembrava onde amontoariam as brasas, achava que fossem na cabeça de quem estava amando! kkkk

  3. Shal….Boa tarde, mas na TORAH não tem esse ensino de “odiar o inimigo”.Isso não pode ser um ensino de homens?

    • Manoel,
      Não existe no Pentateuco (Torá) nem no restante da Bíblia Hebraica (Tanakh) mandamento algum que mande odiar os inimigos.

      Essa referência aparece apenas na Bíblia Cristã. Pode ser que fosse o ensinamento de alguma seita da época, mas certamente não veio da Bíblia Hebraica.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here